Translate

sexta-feira, 9 de setembro de 2011


Nesses últimos dias tenho percebido como a sociedade mudou, como nós evangélicos mudamos e como os não-evangélicos também mudaram. Há mais ou menos três décadas ser evangélico era muito mais difícil que hoje.

Havia uma discriminação muito grande para com os “crentes” e  não éramos bem vistos pela sociedade. Éramos considerados como pessoas de "pouca cultura” e  na maioria éramos  da classe do proletariado. 
Hoje compomos uma grande parcela da sociedade, já não somos ignorados, temos uma participação mais ativa na política, na sociedade  e deixamos de ser considerados como os “sem cultura”. 





 Isso em parte pode ser considerado muito bom, porém devemos tentar enxergar o outro lado da moeda. 
Ser  evangélico tornou-se tão  popular  que   é difícil distinguir quem realmente é evangélico de quem não é. Os usos e costumes caíram e  se não totalmente, pelo menos estão em queda vertiginosa e  com essa mudança entrou  em declínio a santificação, o bom testemunho, a consistência do casamento, os valores da família, o fervor espiritual  (Mateus 24:12) e até o amor fraternal.   

Podemos mudar nossos usos e costumes, com certeza, mas não podemos mudar o  zelo pela decência e pela doutrina da santificação. Em outras palavras não podemos nos conformar com este mundo cheio de sedução, maldade e pecado. Ou então, seremos semelhantes aos que não tem o temor de Deus e  vivem dissolutamente na prática do pecado. 

Podemos ser iguais à todas as pessoas em tudo, mas não na prática do pecado, nisso devemos ser diferentes, pois fomos chamados para a santificação (Levítico 20:26) e não para a imundícia.



Em suma devemos continuar sendo  “diferentes” em nossas atitudes e valores, visando a nossa própria salvação (Hebreus 2:3), caso contrário seremos condenados com o mundo.


"Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve." Malaquias 3:18

terça-feira, 5 de julho de 2011


Sabemos que quando Adão pecou no Éden - o jardim do Paraíso, ele sentiu pela primeira vez o medo, pois ao ouvir a voz de Deus ele disse “...ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me.” Gn 3:10. 


Nunca antes ele havia experimentado essa sensação de temor ou medo. A partir desse momento, o medo passou a ser o grande inimigo do homem e de geração à geração tem levado vidas ao fracasso e até mesmo à morte. Há pessoas que não acreditam que alguém possa literalmente morrer de medo, mas isso é possível. 

 
  
Houve um caso  de um estudante que, sendo aprovado no vestibular de uma faculdade, foi alvo de um trote violento e morreu de medo.

Ele foi levado com os olhos vendados por outros alunos  até uma estrada de ferro,  ali o deitaram e amarraram os seus pés e mãos nos trilhos. Ao ouvir o som de um trem se aproximando, o estudante sentiu muito medo, seu coração disparou  e pensando que ia ser despedaçado pelo trem,  morreu. A linha de trem em que ele foi amarrado estava desativada,  mas ao lado dela havia uma outra por onde os trens trafegavam. Como ele não sabia disso, pensou que o trem estava vindo em sua direção e o pavor da morte o levou ao óbito.  O medo é um dos  maiores inimigos que enfrentamos.   

Ele é o oposto da fé. Pode-se  dizer que é uma fé negativa, que contribui ou faz com que coisas ruins aconteçam. O próprio Jó declarou: “Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu;” Jó 3:25. 


A fé é por natureza positiva, pois ninguém tem fé que vai ficar desempregado, pobre, abandonado ou que vai morrer. Todos tem fé que vão permanecer empregados, prósperos, amparados e irão continuar vivendo. Ela é usada para receber as bênçãos de Deus, ao passo que o medo é negativo e faz com que o homem acredite que coisas ruins vão acontecer. 
Quem acredita que o mal vai acontecer, acaba por sua "anti-fé" (medo ou temor) atraindo  o mal ou criando condições para que ele se torne real e aconteça.

Dentre os temores mais comuns que temos, seis são os que mais nos apavoram: o medo da morte, o medo da velhice, o medo da doença, o medo de perder o amor de alguém, o medo das críticas e o medo da pobreza. 

Para vencer cada um desses grandes inimigos temos uma arma poderosa: a palavra de Deus. A palavra de Deus nos dá vitória sobre o medo porque ela gera fé – “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus;” Romanos 10:17.


Cremos que podemos combater todos os temores ou medos com as escrituras:

- o medo da morte combatemos com as palavras de Jesus - “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;” João 11:25. Também com as palavras do salmista - “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam;” Salmo 23:4.


- o medo da velhice combatemos com o Salmo 90:12 - “Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios.” E com as palavras de Paulo - “..ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia;” II Coríntios 4:16.

- o medo da doença combatemos com o Salmo 103:3 - “Ele é o que perdoa todas as tuas iniqüidades, que sara todas as tuas enfermidades.” E com a promessa de Deus – “...nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o SENHOR que te sara;” Êxodo 15:26.

- o medo de perder o amor de alguém querido combatemos com as palavras de Paulo a Timóteo - “ Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação” II Timóteo 1:7.

- o medo das críticas combatemos com as palavras de Jesus - "... tende bom ânimo, eu venci o mundo" João 16:33 . E com o  Salmo 27:10 - “Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no oculto do seu tabernáculo me esconderá; por-me-ás sobre uma rocha.”

- o medo da pobreza combatemos com o Salmo  37:25 - “Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão.”

Com Deus e com a sua palavra podemos vencer todo o medo, pois como ao chefe da sinagoga, Jesus fala conosco: “...Não temas, crê somente;”  Marcos 5:36.

quarta-feira, 22 de junho de 2011


Não são raras as vezes que desejamos viver isolados de todas as pessoas nesse mundo. E sempre acreditamos que isso não é impossível. Na verdade, podemos viver sozinhos por algum tempo, mas não para sempre.  Homens e mulheres quando chegam à velhice ou ficam doentes, precisam de amparo familiar ou de outras pessoas.  E por mais que possamos rejeitar a associação, acreditando que podemos ser iguais a Davi enfrentando sozinho o gigante, a bíblia nos diz que: 

“Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho;”  e  “... se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa.” Elcesiastes 4:9,12



Segundo esse princípio, podemos ser mais fortes quando nos associamos com outras pessoas, mesmo que seja apenas uma. E as nossas possibilidades de vencer aumentam quando estamos organizados e unidos. 


Como disse  John Donne : “Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra.” E na Igreja não é diferente, pois está escrito que “... individualmente somos membros uns dos outros” Romanos 12:5, ou seja, estamos ligados uns aos outros no corpo de Cristo. 


E até mesmo quando juntos oramos organizados  e em concordância, nossa oração é mais eficaz, pois o próprio Senhor nos disse: “... se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus” Mateus 18:19

Chegamos então à  conclusão que para vencermos esse mundo precisamos viver organizados e em comunhão uns com os outros. Pois o isolamento é a arma que o inimigo usa para nos enfraquecer até desferir um golpe final sobre nós.  Sabendo disso, não podemos viver isolados.  

Basta lembrar que o Senhor ao enviar os seus discípulos, não enviou nenhum sozinho, mas “Chamou a si os doze, e começou a enviá-los a dois e dois, e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos;” Marcos 6:7.

O mesmo ocorreu quando Ele enviou setenta discípulos, como está escrito: “E depois disto designou o Senhor ainda outros setenta, e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir.” Lucas 10:1. Além disso a bíblia diz “Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união” Salmo 133:1. Por essas e outras razões devemos nos unir e nos organizar em grupos de oração, de evangelização, de visitas e também em duplas, pois  assim  será mais fácil prevalecermos sobre as dificuldades e vencermos esse mundo.

domingo, 5 de junho de 2011

Não existe nada mais polêmico dentro da Igreja que a doutrina do  dizímo e das ofertas. Mas o que diz a bíblia ? É realmente necessário dar o dízimo ?  É obrigatório ? 

  São muitas as questões que permeiam esse tema e se tornam mais contundentes quando o evangelho apregoado se torna o "evangelho das ofertas".


Em algumas igrejas são feitos verdadeiros "leilões" de bençãos, como se a maior oferta pudesse arrematar a  maior benção.

E o pior ocorre quando nessas denominações a oferta é usada como meio de "troca" por objetos "milagrosos", que afirmam
trazer a benção a quem possui um.


Desprezando-se os poderes desses objetos inanimados que por mais "consagrados" que sejam, são apenas instrumentos de idolatria, vejamos o que a Bíblia diz.
  
Em Malaquias está escrito: "Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes." Malaquias 3:8-10.

O dízimo e as ofertas são bíblicos mas não devem ser impostos como uma obrigação. Deus não abençoa os que dizimam por obrigação, mas os que o fazem por fé. E para os verdadeiros  dizimistas Deus promete repreender o devorador, abrir as janelas do céu e derramar uma benção sem medidas.

O grande problema hoje, é que não existem apenas essas duas contribuições na igreja. Além dessas, são tiradas ofertas para o pregador, ofertas especiais para compra de bancos, instrumentos musicais, equipamentos para a secretaria, presente de aniversário do pastor, uniformes dos grupos musicais, contribuição para os necessitados, para a convenção, para festa de aniversário, para eventos etc. Haja dinheiro para tantas ofertas e contribuições.

Sem questionar o destino delas, como nos posicionamos diante desse pesaroso quadro?

Devemos concordar com o que é bíblico e podemos discordar do que não é bíblico. O dízimo é bíblico e devemos entregá-lo com amor, gratidão e fé, crendo que Deus abençoará nossas vidas e  suprirá todas as nossas necessidades.

As ofertas são bíblicas, porém conforme o padrão da Palavra de Deus: "Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria." II Coríntios 9:7. Isso quer dizer que a oferta é voluntária e não estamos obrigados a ser contribuintes em todas as "campanhas de oferta".
 
Devemos ofertar no culto segundo o propósito do nosso coração, sabendo que não há  valor estipulado para a oferta. Tudo o que vai além disso não é bíblico e  não somos obrigados a concordar,  mesmo que sendo forçados pela retórica, psicologia, apelo emocional ou coação. Ainda assim, devemos cumprir somente o que a Palavra de Deus diz, nada mais.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

"Antes Deus fala uma e duas vezes; porém ninguém atenta para isso.Em sonho ou em visão noturna, quando cai sono profundo sobre os homens, e adormecem na cama.Então o revela ao ouvido dos homens, e lhes sela a sua instrução. Para apartar o homem daquilo que faz, e esconder do homem a soberba.Para desviar a sua alma da cova, e a sua vida de passar pela espada." Jó 33:14-18 
  Vivemos na esfera das coisas materiais e na maior parte do tempo pensamos no trabalho, nos negócios (dinheiro), em moda (roupas), em tecnologia (celular, câmera digital, notebook, internet), nos relacionamentos sociais (família, filhos, amigos) e em tudo o que nos traz satisfação (doces, bolos, chocolates, salgados, festas, divertimentos, músicas, esportes, filmes etc.). Por outro lado nosso Deus Eterno vive em outra esfera, a espiritual, que é exatamente o oposto de todas as coisas efêmeras com que nos iludimos nesse mundo. Enxergamos tudo ao nosso redor pela visão terrestre e Deus pela visão celeste. 

Assim, quando ele fala conosco, por vezes, não entendemos a sua mensagem. E em razão de pensarmos em coisas desse mundo, não conseguimos entender os mistérios do mundo vindouro. A bíblia é clara sobre isso pois no livro de Isaías diz: "Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o SENHOR. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos." Is 55:8,9
Somos capazes de ouvir a voz de Deus, mas não de entendê-la. E até em alguns momentos somos como aqueles que ouviram Jesus orar "Pai, glorifica o teu nome" e no mesmo instante uma voz do céu disse: "Já o tenho glorificado, e outra vez o glorificarei" e essa massa de gente disse que havia sido um trovão ( Jó 12:28,29). 


Quando não entendemos o que Deus fala, precisamos de um intérprete. Alguém conheça a "linguagem de Deus" e a linguagem dos homens, alguém como Daniel, quando apresentado diante do rei Belsazar para interpretar o significado da mensagem divina escrita na parede do palácio (Daniel 5:1-17). Encontramos a referência a esse intérprete em Jó 33:23: "Se com ele, pois, houver um mensageiro, um intérprete, um entre milhares, para declarar ao homem a sua retidão." (ACF). Talvez nem todos possam ser o intérprete, pois ele é um entre milhares, e´ o  homem que não é natural pois " ... o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente." I Coríntios 2:14.
O intérprete é aquele que ouve e entende a voz de Deus, é o homem espiritual que precisamos ser, aquele que "... discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido." I Coríntios 2:15.

terça-feira, 24 de maio de 2011

        Hoje, no mundo em que vivemos, temos a sensação de que tudo já foi inventado, conquistado ou descoberto. E às vezes nos sentimos até um pouco infelizes por não ter algo a conquistar ou  a descobrir. Mas há muitas coisas a serem desvendadas ou esclarecidas que por enquanto, continuam sendo um enigma. As chaves que o Senhor deu ao apóstolo Pedro são um bom exemplo disso. 


Jesus disse a Pedro: "... eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus." Mateus 16.19

   
     Que chaves seriam e o que elas significam ?



          Para alguns religiosos seriam as insígnias da autoridade do apóstolo sobre a igreja.  Pode até ser, mas eu tenho outra opinião sobre o assunto.

          Em primeiro lugar, devemos entender que pela definição chaves são instrumentos específicos de cada fechadura que destrancam uma porta que está fechada. E se Pedro recebeu as chaves, ele recebeu algo que lhe garantiu o acesso a um lugar, nesse caso o reino dos céus.

         Para entrar no reino de Deus é preciso estar qualificado, sendo assim, creio que o que ele recebeu foi:
-  o conhecimento da verdade: "E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará." João 8:32

-  a virtude da fé,  porque, somente ... "Quem crer (tiver fé em Jesus) e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. " - Marcos 16.16

- a graça da humildade, pois Jesus disse " ...  Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus." - Mateus 18:3,4

-  a lei do perdão de Deus: " ... se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;"- Mateus 6:14

- o mandamento do amor: "Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis." - João 13:34 

 - o poder do evangelho: "Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum." - Lucas 10:19

- a consagração pela santificação: "Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor" - Hebreus 10:12.

Quem  tiver essas chaves e souber usá-las (colocá-las em prática) terá acesso ao ao céu, ou seja, entrará no reino dos céus.


Pastor Aristeu Rodrigues








sábado, 21 de maio de 2011


  O site http://www.ebiblefellowship.com/pt/index.html marcou o arrebatamento da Igreja para a data de hoje, porém até o momento em que escrevi esse post nada tinha acontecido.
Veja também: http://www.familyradio.com




Essa não é primeira vez que alguém tenta prever a volta do Senhor Jesus. Como todos os outros anteriores comete um grande erro.  A Bíblia é clara ao relatar as palavras do Senhor: " Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai." Mateus 24:36. Entretanto muitos estudiosos querem tentar descobrir o que Deus não revelou a nínguém. 

O arrebatamento da Igreja é um mistério como afirmou Paulo em I Corintíos 15:51:"Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados;" .Isso significa que ocorrerá de uma forma enigmática, sobrenatural, repentina e sem aviso prévio, pois Jesus já alertou: "Portanto, estai vós também apercebidos; porque virá o Filho do homem à hora que não imaginais." Lucas 12:24. Creio que a vinda do Senhor está próxima, porém não podemos prever o dia, a hora, o mês ou ano em que Ele vai voltar. Devemos estar preparados, alertas, mas não podemos nos enganar, daquele dia e hora nínguém sabe. 

Que Deus tenha misericórdia destes irmãos que cometeram um grande equívoco. Eles precisarão de muita oração para se levantarem na fé. Vamos orar por eles. Que Deus os abençõe com a sua Graça.

Pastor Aristeu Rodrigues

terça-feira, 17 de maio de 2011

"E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares." Gênesis 32.26

Para ser abençoado Jacó lutou com um anjo de Deus de noite até o amanhecer e por sua persistência,  recebeu a benção: "Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste." Gênesis 32.28. Mas Jacó só foi abençoado, porque deparou-se com um anjo em seu caminho. E se ele não tivesse esse encontro fortuito com o anjo, como poderia ser abençoado ?  E nós hoje como podemos ser abençoados ? Será que devemos sair à procura de um anjo, para  lutar com ele para que nos abençõe ?  Se tentarmos isso, o grande problema será achar o anjo e mesmo que o achemos será que poderemos enfrentá-lo ? O bom senso nos leva a pensar que esse não é o meio mais fácil de ser abençoado.

Existe um meio  mais simples de ser abençoado e que não depende de enfrentar um ser angelical  num combate corpo a corpo. Para sermos abençõados hoje é  necessário que conheçamos dois grandes segredos da  Benção de Deus.

O primeiro segredo: A Fé 

Nós somos abençoados de acordo com a medida da nossa fé.  Se temos muita fé, somos muito abençoados, se temos pouca fé somos pouco abençoados. Recebemos as bençãos de Deus na mesma proporção da nossa fé. Encontramo implícito essa lei da benção em Mateus 9.28,29, quando Jesus perguntou a dois cegos que clamavam por misericórdia - "...Credes que eu possa fazer isto ?" e eles responderam - "Sim, Senhor",  e ouvindo essa resposta Jesus tocou os olhos deles e disse - ..."Seja vos feito segundo a vossa fé." Existe uma relação direta entre a benção e a fé: se você tem fé você tem a benção e se você não tem fé você não tem a benção.

O segundo segredo: Saber Pedir

O segundo segredo não invalida o primeiro, muito pelo contrário depende dele.  Tendo fé,  temos a certeza de que Deus nos ouve em todas as nossa petições, pois em   I João 5:15.  está escrito - "E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as  petições que lhe fizemos."   Deus nos ouve, mas para Ele nos ouvir precisamos pedir. Só recebe quem pede. Podemos ter muita fé e  se existir algo que queremos, mas não pedimos,  não iremos receber. Deus cuida de nós não deixando faltar as coisas básicas e necessárias à nossa existência, porém aquilo que não é indispensável  à nossa vida, fica a nosso critério pedir. Se quisermos receber qualquer coisa, devemos pedir e pedir com fé. Esse segundo segredo está em Mateus 7:7 - "...Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á." É preciso persistir na oração, batendo na porta dos céus. Às vezes estamos muito perto de receber a benção e desanimamos, deixamos de acreditar e sem fé também deixamos de agradar a Deus. Por isso devemos pedir e insistir até receber, porque é crendo e pedindo que recebemos.





segunda-feira, 9 de maio de 2011

             O mundo em que vivemos, não é feito de realidades, mas de mentiras. Admiro como as pessoas agem com tanta falta de sinceridade umas com as outras. Dentro de mim surge uma pergunta: - "O que estas pessoas estão construindo para o futuro ? Uma vida de mentiras, falsidades, invejas, enganos e fingimentos ?"

Diante de seu semelhante agem como se tivessem o mais puro amor fraternal, como se fossem verdadeiros(as) amigos(as), mas basta o próximo ir embora para  vir à tona o verdadeiro sentimento que nutrem por ele, no mais íntimo do seu ser: emergem críticas, reprovações, zombarias, desejos de maldade, desafetos, indiferenças, invejas, falsidades e até ódio.


      Passamos a conhecer  melhor os que nos rodeiam quando estamos em dificuldades ou  com problemas e não temos nada a lhes  oferecer.





           Nessa hora procuramos os verdadeiros amigos e descobrimos uma triste verdade: alguns deles nunca existiram.
         Também encontramos mais uma vez a prova da veracidade da Bíblia, porque ela diz: "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?" Jeremias 17:9.


        A verdade existe, como também um amigo verdadeiro que jamais nos abandona: Jesus. Ele não se esquece de nós, em momento algum. Sempre está do nosso lado e principalmente nas horas de angústia, pois está escrito: "Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti." Isaías 49:15.

          Assim como Ele não se esquece de nós, não podemos nos esquecer Dele.


sexta-feira, 22 de abril de 2011


A palavra “Igreja” é usada para designar o edifício onde se celebram os cultos, a instituição religiosa (Assembléia de Deus, Igreja Batista, Igreja Presbiteriana, Igreja Metodista ,etc.) ou   o conjunto de fiéis que professam a mesma  fé formando um só corpo.
No Novo Testamento, a palavra Igreja é uma tradução da palavra grega   “ekklesia” que significa chamado ou convocado. Etimologicamente ekklesia é composta de dois radicais gregos: ek que significa para fora e klesia que significa chamados.

Entre os gregos era usada para referir-se à reunião de pessoas com um objetivo comum, sendo ele político, religioso ou militar. Para Leonardo Boff ekklesia é “ uma comunidade daqueles que responderam com fé à convocação de Deus em Jesus Cristo por Seu Espírito”. No Velho Testamento a palavra correspondente é “ qhal” (Num 20.4, Dt 18.16; 31.30; I Cr 29.1)

No novo testamento, além de ekklesia encontramos varias referências à igreja por meio de símbolos como   
a noiva de Cristo (II Co 11.2), 



o corpo de Cristo (Ef 1.22,23),  



 a morada (ou casa) de Deus  (Ef 2.22), 





o templo de Deus (I Co 3.16),



a lavoura de Deus (I Co 3.9)



e o rebanho de Deus (At 20.28). 



Estes símbolos  destacam as características,  qualidades e  virtudes da igreja.  Mas qual  é  o propósito de Deus ao chamar o seu povo ? E qual a missão de sua Igreja neste mundo ?
Considerando-se essa missão em relação a Deus, concluímos que  a Igreja  do Senhor Jesus Cristo,  comprada com o seu sangue (I Pe 1.18,19) tem em primeiro lugar como missão adorar  a Deus (Mt 4.10)

Adorar no sentido religioso significa  prestar culto. Mas na Bíblia, no Antigo Testamento adorar é tradução da palavra hebraica “shachac” que literalmente significa prostrar-se (Sl 5.7; 95.6-7, Gn 24.26,27; Ex 34.8,9; II Cr 20.18; Jó 1.20,) e subentende-se a idéia de “reconhecer o valor de”. Disso concluímos que adorar significa reconhecer o valor e a dignidade de Deus. Em outras palavras é reconhecer que Ele é Deus e devemos tributar-lhe toda honra , louvor , glória (Sl 29.1,2), poder  e ação de graças (Ap  7.11,12).



 A verdadeira adoração, baseia-se na fé (Hb 11.6),relaciona-se com a obediência (Hb 11.17,18; Gn 4.3-7; Rm 12.2; Mq 6.6-8),envolve-se com o ato de dar (Hb 11.17, Mt 2.11, Dt 16.16,17; Sl 96.8,9), é praticada em espírito (na dimensão de Deus ) Jo 4.24 e só pode ser realizada porque aqueles que nasceram do espírito (Jo 3.8;  I Jo 3.6,9).  Adorar em espírito e em verdade exige conhecer  a  Deus, sua vontade, sua palavra e viver de acordo com os princípios bíblicos, ou seja, a doutrina dos apóstolos. (At 2.42, I Tm 4.16, II Tm 3.10). O povo de Israel afastou-se da verdadeira adoração seguindo a idolatria pagã  (Ez 8.9-16; Jr 7.17,18,30,31; 8.1,2; 9.14; II Cr.28.22-25) porque desprezou o conhecimento de Deus e da sua palavra ( Is 1.3,4; Os 4.6). Devemos viver em adoração a Deus, colocando em prática os ensinos da sua Palavra , andando em espírito, meditando nas escrituras, orando em todo o tempo, vivendo como filhos da luz e  reconhecendo que Ele é digno de tudo, poder, honra, glória, majestade e domínio para sempre.

sábado, 16 de abril de 2011



"Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem  não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue?"  Romanos 10:14

Desde o início da Igreja, o reino de Deus tem sido anunciado de um modo simples e eficaz: a comunicação verbal. Anos e séculos se passaram e ainda hoje esse é o meio mais importante para divulgar a Palavra de Deus.

 Apesar de contarmos hoje com inúmeros recursos para modernizar a pregação do evangelho, o que vemos é que a base continua sendo a mesma.

Ao analisarmos os recursos disponíveis como programas de rádio e televisão, internet (blogs, sites, e-mail, salas de bate papo, filmes,vídeos), literatura evangélica (livros, revistas, folhetos), faixas, adesivos de veículos, placas e outros mais, podemos concluir que essa parafernalha tecnológica existe em função da linguagem oral ou escrita.

A linguagem é a base de tudo. Ela é o instrumento pelo qual conseguimos transmitir a mensagem de Deus. As vezes nos preocupamos muito com o conteúdo da mensagem, mas não nos preocupamos como ela será transmitida. Para pregar o reino Deus não basta ter conhecimento da bíblia, é preciso saber usar corretamente a linguagem de maneira eficiente.

Hoje, já não temos muitos que preguem e os poucos que temos, não se preocupam em aperfeiçoar o modo de transmitir a mensagem do evangelho.

Muitos falam com conhecimento da Bíblia, mas sem conhecimento da oratória. É por isso que há poucas conversões, porque poucos pregam e estes não tem muita habilidade com a palavra. É preciso saber transmitir o evangelho, com habilidade, com conhecimento, com a unção de Deus, com fé e dinamismo.

Homens como o apóstolo Pedro, levavam multidões à conversão porque anunciavam a Cristo com extrema habilidade na palavra, com unção, fé e conhecimento da escrituras - "E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos?
E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;
Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar. E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas. (Atos 2.37-41). 

Essa combinação poderosa de recursos, pode hoje ser incrementada pelo avanço tecnológico que temos a disposição, mas jamais poderá ser substituída por ele. Precisamos pregar para que almas se rendam aos pés do Senhor, mas com conteúdo, habilidade, unção e fé. 

quinta-feira, 14 de abril de 2011

 Não resistindo ao desejo de comentar essa blasfêmia publicada contra a Palavra de Deus eis o que penso:
-O filósofo humanista A.C. Grayling não tem a menor criatividade, porque se quisesse realmente lançar um livro humanista, filosófico ou seja lá o que for, não usaria de um expediente tão baixo quanto esse. Ele fez uma ridicularização da Bíblia Sagrada  que é a Palavra de Deus escrita aos homens. Notem que o Livro traz o título: "The Good Book - a secular bible" - não é preciso ser um expert em inglês para entender que a tradução correta  seria - " O Livro Bom - uma biblia secular" (mundana, profana). Além disso ele demonstra que quis zombar da Bíblia que é "O Livro de Deus" em inglês "The God Book" colocando no título o trocadilho "The Good Book" (O Livro bom). Realmente este filósofo não sabe nada da única e verdadeira Palavra de Deus, pois ela diz: "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." Gálatas 6:7. Se ele pensa que pode zombar de Deus e da sua Palavra e ficar impune,  está muito enganado.

Pastor Rodrigues

Vejam a notícia abaixo: 


Humanista lança “Bíblia” com filósofos e escritores no lugar dos profetas e apóstolos

O livro humanista tira a vez dos profetas e apóstolos e passa a palavra para pensadores








O livro humanista tira a vez dos profetas e apóstolos e passa a palavra para pensadores
Humanista lança “Bíblia” com filósofos e escritores no lugar dos profetas e apóstolos

O filósofo A C Grayling, novo presidente da Associação Humanista Britânica, resolveu escrever uma Bíblia sem falar sobre Deus e lançou The Good Book: A Humanist Bible [O Bom Livro: uma Bíblia Humanista]. Neste livro saem os profetas e apóstolos e entram os grandes filósofos e escritores.

“A ética humanista não pretende ser originada em uma divindade. (Eles) começaram a partir de uma compreensão solidária da natureza humana e aceitaram que há uma responsabilidade para que cada indivíduo lute pelos valores em que acreditam”, explica o autor.

O livro é sobre a experiência humana neste mundo, sem mencionar deuses, alma ou vida após a morte. Os textos analisam a sabedoria humana de todas as idades e lugares para oferecer consolo, inspiração, orientação, e causar uma reflexão sobre como viver uma vida boa.

The Good Book tem mais de 600 páginas dividas em capítulos e versículos, igual a Bíblia. Outra semelhança é que a obra inicia-se em um jardim, mas não é sobre a criação de Adão e Eva: é Isaac Newton e sua macieira.

Outra “mera coincidência” com as Sagradas Escrituras é que o livro traz uma versão secular dos 10 mandamentos: 1) Ame muito; 2) Busque o que há de bom em todas as coisas; 3) Não prejudique os outros; 4) Pense por si mesmo; 5) Seja responsável; 6) Respeite a natureza; 7) Faça sempre o seu melhor; 8 ) Informe-se; 9 ) Seja gentil e 10) Seja corajoso.

Ironicamente o livro foi lançado perto da data comemorativa dos 400 anos da tradução mais popular da Bíblia para a língua inglesa, a King James. E a divisão e o nome dos “livros” também lembra os da Bíblia: Gênese, Sabedoria, Parábolas, Concórdia, Lamentações, Consolação, Sábios, Canções, Histórias, Provérbios, o Legislador, Atos, Epístolas e o Bem.

Não há previsão de lançamento no Brasil, mas o livro custa cerca de 60 reais impresso ou 35 em formato digital na Amazon.

Fonte: Gospel Prime

terça-feira, 5 de abril de 2011

"Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis." Mateus 24.44

O cenário espiritual do mundo hoje revela que os sinais da volta do Senhor Jesus Cristo estão aumentando e se tornando mais evidentes: conflito na Líbia, tsunami e desastre nuclear no Japão,  aparecimento  de dois sóis nos céus da China ( um real e o outro provavelmente seria um reflexo de fenômenos físicos -  explosões, gases ou início de uma atividade solar mais intensa), surgimento de falsos cristos como José Luiz de Jesus Miranda, líder da igreja Creciendo en Gracia, que carrega tatuado em um dos seus braços o nº 666 e se proclama ser Deus, ou como David Shayler, um ex-agente do Serviço de Inteligência Britânico MI5, que afirma ser a alma de Jesus encarnada em um homem, ou como  o pastor Apollo Quiboloy, fundador do Reino de Jesus Cristo, nas Filipinas, que também diz ser deus  e  afirma ter seis milhões de seguidores no mundo inteiro ou ainda como Sergei Torop, um ex-guarda de trânsito da Rússia que muitos consideram ser a reencarnação de Jesus de Nazaré. Somados a estes, ainda há fome na Índia, nos países do continente africano, no nordeste brasileiro, em países árabes e até mesmo em São Paulo. Quando olhamos para as favelas e viadutos de nossas cidades, vemos  frequentemente  pessoas com fome e que procuram o que comer .  Acrescenta-se ainda a tudo isso as pestes que enfrentamos com muito pavor: o ebola, a aids (no início era conhecida como peste gay), a gripe espanhola, gripe aviária e  recentemente a temível gripe suína.
Além disso, existe por toda a parte um esfriamento espiritual que vem entrando cada vez mais nas Igrejas e temos que concordar que é para que se cumpra a Palavra de Deus que diz: "E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará." Mateus 24.12. Surge então uma indagação: - Quando Jesus Cristo, o verdadeiro e único Filho de Deus, voltará ? Alguns estão dizendo que será no dia 21/05/2011 (veja  no site www.ebiblefellowship.com ou www.familyradio.com. Sinceramente não acredito que Ele venha nesse dia. A Bíblia diz: "Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai." Mateus 24.36 . Não acho  provável que o Senhor venha em um momento em que muitos o estão aguardando. Creio que Ele vem em breve, mas o dia e a hora da sua volta não nos foi revelado porque será uma acontecimento surpreendente. O próprio  Senhor disse: "Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor." Mateus 24.42. Será um acontecimento muito rápido, como alertou o apóstolo Paulo: "Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados." 1 Coríntios 15:52. Muitos serão surpreendidos nesse dia  e para que isso não aconteça a nós, devemos nos preparar hoje como se o Senhor estivesse voltando amanhã, porém cientes de que só Ele sabe se virá amanhã ou em qualquer outro dia, mês, ano, década ou século que Deus o Pai Todo Poderoso já determinou.

Pastor Rodrigues

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Haviam dois garotos gêmeos que viam a vida de maneira completamente opostas. Bill era um eterno otimista. Bob era um pessimista inveterado, um legítimo "sapo fervido", sempre pensando negativo, não importando quão boa fosse a situação.

Alguém aconselhou a mãe dos garotos a fazer uma experiência meio drástica com eles. Ela deveria comprar todos os brinquedos que pudesse para Bob, no Natal que se aproximava, e não adquirir nada para Bill. Melhor ainda. Ela poderia embrulhar num lindo papel de presente um pouco de "cocô" de cavalo para ele! Que experiência chocante, néh?

Na manhã de Natal, ela encontrou os filhos ao lado da bonita árvore que ficava no canto da sala. Ela perguntou para Bob o que o "Papai Noel" havia trazido para ele. E Bob como de costume, começou a desfiar seu enorme rosário de queixas:

- "Uma arma de brinquedo, mas eu acho que acertarei alguém no olho e o deixarei cego. E uma bicicleta, mas eu possivelmente serei atropelado quando estiver montado nisso. É um trem elétrico, mas eu serei eletrocutado quando o ligar."

Percebendo queas coisas não iam nada bem, ela perguntou para o Bill o que ele tinha ganho...

E o pequeno Bill, tendo nas mãos aquelas grande bolotas verdes-musgo, disse:

- "Eu não tenho certeza, mas acho que ganhei um cavalo".

(...)

Uau!!!! Que lição de otimismo!

Sabe, dependendo da maneira como encaramos a vida, os "cocôs" de cavalo que aparecem em nosso caminho, podem ser motivos de esperança também. A vida não será sempre trenzinho e bicicleta, mas se você não estiver comprometido com a felicidade, as coisas boas se transformam em maldições. E as ruins? Sabe o que acontece? Ela ficam piores ainda. É verdade!

Vamos decidir cada dia, quando formos sobressaltados por aqueles fedorentos "cocôs" de cavalo, perguntar o que eles escondem. talvez, por trás (ou acima) daquele "cocô" esteja um bonito pônei pra você.

Fonte: Livro - Sapos Fervidos ou Ossos Dançantes - Antonio Braga

quinta-feira, 31 de março de 2011

 Poucas pessoas pensam sobre o destino de suas almas na eternidade e existem até aqueles que não acreditam que possa haver uma salvação. Porém, desacreditar que haja salvação é tão insensato quanto negar a existência terrena de Jesus Cristo, nosso Salvador. Temos muitas evidências desse fato histórico, porém a prova mais viva de que Ele esteve neste mundo é que a sua doutrina permanece até hoje. E se é incontestável  que o Filho Deus se manifestou-se na forma humana, também é incontestável a missão dele: "Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido." S. Lucas 19.10. Ele  veio para salvar os perdidos, porque Deus não encontrou nenhum justo sobre a terra - "O SENHOR olhou desde os céus para os filhos dos homens, para ver se havia algum que tivesse entendimento e buscasse a Deus. Desviaram-se todos e juntamente se fizeram imundos: não há quem faça o bem, não há sequer um." Salmos 14.2,3. Todos nós nascemos com a natureza pecaminosa de Adão (Gn 3.6-23), pois a bíblia diz que "... por um homem entrou o pecado no mundo e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram." Rm 5.12. Por iss todos ficaram destituídos da comunhão e da glória de Deus a exemplo do próprio Adão que foi expulso do jardim do Éden (Gn 3.23-24) - "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" Rm 3.23. O pecado é a transgressão da vontade de Deus, em outras palavras é toda desobediência a Ele e a sua palavra. É o ato (obra) ou  conduta por meio de  pensamentos, palavras, sentimentos e omissões que trasngridem a vontade de Deus. Esse ato ou conduta, impede que homem tenha comunhão com Deus, pois produz uma separação entre ambos,  não permitindo que as orações dos que vivem nessa prática, sejam ouvidas, pois assim está escrito: ''Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça" Is 59.1,2. Todo e qualquer pecado gera a condenação e essa produz a morte  do pecador conforme diz Tiago: "Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte." O apósto Paulo também adverte a igreja em Roma quanto à recompensa dos que cometem pecado, afirmando que .."o salário do pecado é a morte"..Rm 6.23. Surge então a indagação: - Se todos somos pecadores, como podemos ser salvos ? Existe salvação ? Sim, porque Deus pode perfeitamente salvar os pecadores que se arrependem. É inegável  que todos nascemos com o estigma de Adão e estávamos debaixo do domínio do pecado, porém Deus "..olhou desde o alto do seu santuário, desde os céus o SENHOR contemplou a terra, para ouvir o gemido dos presos, para soltar os sentenciados à morte;" Salmos 102.19,20. Ele amou o mundo e elaborou um plano para a salvação do homem: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.." Jo 3.16. No plano da salvação Deus determinou que seu Filho, Jesus Cristo que é Deus e existia  na eternidade, como ele mesmo declarou  "..Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou." Jo 8.58, viesse ao mundo sob a forma humana, porém sem pecado, para receber a condenação de todos os pecadores, ser sacrificado pela humanidade e com seu sangue expiar os pecados do mundo : " Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação".Hebreus 9:28 . O Filho de Deus concluiu o plano da salvação  quando na cruz exclamou:"...Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito." Jo 19.30. Ao dizer estas plavras, Ele deixou claro que o sacrifício foi feito e que o caminho para a reconciliação do pecador com Deus estava aberto: "Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus. Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados." Hb 10.12,14. Deus fez a sua parte para salvar a humanidade dos seus pecados, mas como um contrato que se celebra entre duas partes e ambas têm obrigações a cumprir, no plano da salvação, o pecador também precisa fazer a sua parte. Para ser salvo, o homem precisa receber Jesus - "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;" Jo 1.12, crêr nEle - "Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado." Mc 16.16, confessar - " ...Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.", e permanecer - "Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo." Mt 24.13.  Entretanto, devemos atentar que permanecer nEle signinifica viver como Ele - "Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou." I Jo 2.6 e isso implica em uma vida nova  separada do pecado - "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." II Co 5.17. Em suma, o homem que crê em Jesus Cristo, aceita o seu sacrifício, concorda com o plano de Deus para a salvação da humanidade, obedece a palavra de Deus, separa-se do pecado, e persevera nisso é salvo de toda a condenação - "Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus,  que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito". Rm 8.1. Como o próprio Senhor disse: "Eu sou a porta;
se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens." Jo 10.9


Seguidores