Translate

quinta-feira, 14 de abril de 2011

 Não resistindo ao desejo de comentar essa blasfêmia publicada contra a Palavra de Deus eis o que penso:
-O filósofo humanista A.C. Grayling não tem a menor criatividade, porque se quisesse realmente lançar um livro humanista, filosófico ou seja lá o que for, não usaria de um expediente tão baixo quanto esse. Ele fez uma ridicularização da Bíblia Sagrada  que é a Palavra de Deus escrita aos homens. Notem que o Livro traz o título: "The Good Book - a secular bible" - não é preciso ser um expert em inglês para entender que a tradução correta  seria - " O Livro Bom - uma biblia secular" (mundana, profana). Além disso ele demonstra que quis zombar da Bíblia que é "O Livro de Deus" em inglês "The God Book" colocando no título o trocadilho "The Good Book" (O Livro bom). Realmente este filósofo não sabe nada da única e verdadeira Palavra de Deus, pois ela diz: "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." Gálatas 6:7. Se ele pensa que pode zombar de Deus e da sua Palavra e ficar impune,  está muito enganado.

Pastor Rodrigues

Vejam a notícia abaixo: 


Humanista lança “Bíblia” com filósofos e escritores no lugar dos profetas e apóstolos

O livro humanista tira a vez dos profetas e apóstolos e passa a palavra para pensadores








O livro humanista tira a vez dos profetas e apóstolos e passa a palavra para pensadores
Humanista lança “Bíblia” com filósofos e escritores no lugar dos profetas e apóstolos

O filósofo A C Grayling, novo presidente da Associação Humanista Britânica, resolveu escrever uma Bíblia sem falar sobre Deus e lançou The Good Book: A Humanist Bible [O Bom Livro: uma Bíblia Humanista]. Neste livro saem os profetas e apóstolos e entram os grandes filósofos e escritores.

“A ética humanista não pretende ser originada em uma divindade. (Eles) começaram a partir de uma compreensão solidária da natureza humana e aceitaram que há uma responsabilidade para que cada indivíduo lute pelos valores em que acreditam”, explica o autor.

O livro é sobre a experiência humana neste mundo, sem mencionar deuses, alma ou vida após a morte. Os textos analisam a sabedoria humana de todas as idades e lugares para oferecer consolo, inspiração, orientação, e causar uma reflexão sobre como viver uma vida boa.

The Good Book tem mais de 600 páginas dividas em capítulos e versículos, igual a Bíblia. Outra semelhança é que a obra inicia-se em um jardim, mas não é sobre a criação de Adão e Eva: é Isaac Newton e sua macieira.

Outra “mera coincidência” com as Sagradas Escrituras é que o livro traz uma versão secular dos 10 mandamentos: 1) Ame muito; 2) Busque o que há de bom em todas as coisas; 3) Não prejudique os outros; 4) Pense por si mesmo; 5) Seja responsável; 6) Respeite a natureza; 7) Faça sempre o seu melhor; 8 ) Informe-se; 9 ) Seja gentil e 10) Seja corajoso.

Ironicamente o livro foi lançado perto da data comemorativa dos 400 anos da tradução mais popular da Bíblia para a língua inglesa, a King James. E a divisão e o nome dos “livros” também lembra os da Bíblia: Gênese, Sabedoria, Parábolas, Concórdia, Lamentações, Consolação, Sábios, Canções, Histórias, Provérbios, o Legislador, Atos, Epístolas e o Bem.

Não há previsão de lançamento no Brasil, mas o livro custa cerca de 60 reais impresso ou 35 em formato digital na Amazon.

Fonte: Gospel Prime
Categories:


Estudioso da Bíblia

0 comentários:

Seguidores