Translate

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

"E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará."
Mateus 24:12


Por diversas vezes preguei sobre os sinais da volta do Senhor Jesus Cristo, mas em nenhuma delas interpretei esse versículo como o interpreto hoje. Muitos fazem distinção entre iniquidade e pecado, mas na prática essa distinção não existe. A iniquidade é a falta de equidade, a prática da injustiça e da perversidade, ao passo que o pecado é a desobediência à vontade de Deus ou a sua lei. Em resumo iniquidade é pecado, conforme está escrito:"Toda a iniqüidade é pecado, e há pecado que não é para morte." 1 João 5:17.

É notório que a prática do pecado têm no presente século crescido numa progressão geométrica, sendo difundida por programas de tv, filmes, séries, sites da web, revistas, jornais e redes sociais. Vivemos em uma época marcada pela libertinagem e pela ausência de valores morais. Fato que não causa nenhum espanto, pois o apóstolo João afirma que "sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno." 1 João 5:19.

Confesso que todas as vezes em que falei sobre o texto de Mateus 24:12 demonstrei o quanto a perversão e o pecado têm se multiplicado no mundo. Eu não havia compreendido o real significado das palavras de Jesus. Ele afirmou que por se multiplicar a iniquidade, ou seja por crescer em número o pecado, o amor de muitos se esfriaria, porém ele não disse que era a iniquidade do mundo.

Eu acreditava que Ele se referia ao crescimento do pecado no mundo, o que de fato ocorreu em grande escala. Mas ao ver todas as notícias do nosso "mundo gospel", concluí que Ele se referiu à iniquidade dos cristãos. Não parece óbvio, mas é no meio da igreja que o pecado está crescendo e não estamos percebendo.

Lendo notícias e artigos em blogs evangélicos percebi o quanto a igreja perdeu o temor de Deus. Ao entrar nestes blogs evangélicos, podemos ver publicações que nem de longe parecem ter sido elaboradas por pessoas que conhecem a Palavra de Deus.

Artigos escritos por cristão são marcados por sensualidade, satirização do evangelho e das escrituras sagradas. Sem falar nas baladas gospel e no barzinho onde pastores ou irmãos dançam com as irmãs. Pode-se perceber, que de um modo paulatino, a linha que separa o justo do ímpio está sendo ultrapassada e ambos já estão quase do mesmo lado.

Entretanto como em todas as épocas, sempre haverá homens e mulheres que serão diferentes (Ml 3:18), como Noé (Gn 6:5-8) no meio de uma geração maligna, ou como Daniel (Dn 1:8; 6:10) que orava três vezes ao dia, ou como Sadraque, Mesaque e Abede-Nego (Dn 6:12-15) que não se prostraram perante a estátua de ouro de Nabucodonosor e como Elias (I Reis 18:19-22) que enfrentou os profetas de Baal.

Estes homens eram diferentes porque temiam a Deus (II Co 7:1) e resistiam ao pecado (HB 12:4). É evidente que o temor de Deus está desaparecendo na vida dos cristãos e por isso a igreja está se conformando com tudo e achando que tudo é normal.


Mas se o apostolo Paulo estivesse hoje vivo, e ao invés de escrever aos que estavam em Roma (Rm 1:7), a Epístola aos Romanos, escrevesse aos que estão no Brasil, o que ele diria em sua carta, no capítulo 12 e versículo 2 ? Acho que ele escreveria assim:

"E não vos conformeis com este mundo ["gospel"], mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus."

É bem provável que ele acrescentaria que não devemos nos conformar com esse "mundo gospel" que nos rodeia.
Categories:


Estudioso da Bíblia

0 comentários:

Seguidores