Translate

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Há algumas décadas atrás, as bíblias evangélicas eram em sua maioria apenas um livro de capa preta. No Brasil existiam as bíblias com capa de couro, com zíper, com índice digital ou capa dura. Depois surgiram umas poucas variações com capa de cor azul ou marrom. Nessa época a bíblia vida surgiu com as palavras de Jesus em vermelho e com um suplemento contendo alguns mapas e tabelas. Hoje existem inúmeros modelos com capas coloridas, tamanhos diversificados e temas ou estudos bem distintos. Com este leque de opções, surge a grande dúvida na hora de comprar uma bíblia, qual modelo escolher. Em primeiro lugar é preciso definir qual a versão da bíblia será escolhida. Existem hoje várias versões, dentre elas a almeida revista e corrigida (ARC), a almeida corrigida e fiel (ACF), a almeida revista e atualizada (ARA), a nova versão internacional (NVI), a nova tradução na linguagem de hoje (NTLH), a almeida século 21 e a king James ou verão do rei Tiago.

A escolha da versão é muito pessoal e além disso está também vinculada à denominação evangélica a qual se frequenta. A Igreja Assembleia de Deus e a Congregação Cristã no Brasil usam a ARC e eu particularmente prefiro essa versão, sem entretanto desprezar as demais.
As Igrejas Batistas de origem mais tradicional usam a ACF, enquanto que as igrejas neopentecostais usam a NVI, a ARA, a almeida século 21 e em alguns casos até a NTLH. Há mitos e controvérsias sobre a NVI que não têm fundamento. Fiz algumas comparações entre essa tradução e a ARC e encontrei algumas diferenças, mas nada que atestasse ser a NVI uma heresia.

Depois de definir qual a versão da bíblia, levando-se em conta a denominação evangélica que se frequenta, é preciso levar em conta o tipo de pessoa que irá utilizá-la. Pessoas de meia idade com alguma dificuldade visual (presbiopia, miopia ou outras) podem se sentir atraídas por uma boa bíblia de estudo, mas essa euforia termina em poucos dias, porque normalmente essas bíblias têm as letras muito pequenas e dificultam a leitura.
O ideal para essas pessoas é uma bíblia com letra gigante ou extra gigante que permite uma leitura muito confortável e agradável. Há tambémalgumas bíblias que parecem não ter o texto bem disposto na folha, ou a letra clara demais, ou a aparência da letra velha, o que torna difícil a leitura e a localização de versículos.

Para pregadores e jovens existe uma gama muito grande de bíblias de estudo. São boas bíblias de estudo a Bíblia Plenitude, a Bíblia de Aplicação Pessoal, A Bíblia de Estudo Mc Arthur, A Bíblia de Estudo Explicada, A Bíblia do Pregador (contém muitos esboços de pregação), A Bíblia de Estudos Palavras Chave (indicada para os que estudam as línguas originais), a Bíblia de Estudo NVI, a Bíblia de Estudo Vida, a Bíblia de Estudo Esquematizada e a Bíblia de Estudo Arqueológica, dentre outras.
O mais importante ao escolher qualquer uma delas é levar em conta o que a torna mais útil ao usuário, se são os suplementos arqueológicos, os comentários, os esboços de pregação, ou significado de termos nas línguas originais, etc. Sem desprezar essas medidas é mais aconselhável ainda, antes de decidir qual bíblia comprar, examiná-la em uma livraria evangélica e verificar se ela atende às suas expectativas.
Categories:


Estudioso da Bíblia

1 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Blog encantador,gostei do que vi e li,e desde já lhe dou os parabéns,
também agradeço por partilhar o seu saber, se achar que merece a pena visitar o Peregrino E Servo,
também se desejar faça parte dos meus amigos virtuais faça-o
de maneira a que possa encontrar o seu blog,para que possa seguir também o seu blog.
Deixo os meus cumprimentos, e muita paz.
Sou António Batalha.

Seguidores